O vegetarianismo não quer dizer ingerir alimentos de origem vegetal. Na verdade, a origem do termo vem do latim vegetus, que significa saudável. Quando ouvimos dizer que alguém é vegetariano, muitas vezes associamos apenas que a pessoa quer proteger os animais.

Porém, uma pessoa pode adotar o vegetarianismo por diversas razões: a principal seria por saúde, como o próprio termo implica. Mas ética, religião, meio ambiente, proteção dos animais e até estética podem entrar na equação. Basicamente, quem decide ser vegetariano não come mais qualquer tipo de carne.

Mas por existirem tantos fatores que podem estar associados à decisão de se tornar vegetariano, algumas formas diferentes de se ver e praticar o vegetarianismo surgiram, assim é comum muitas pessoas confundirem alguns termos desse universo, como vegetariano e vegano, por exemplo. Para acabar com suas dúvidas, preparamos um artigo com tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

O Vegetarianismo e suas classificações

O vegetarianismo nada mais é do que uma dieta à base de alimentos de origem vegetal, excluindo completamente qualquer carne de origem animal. Ou seja, quem é vegetariano consome vegetais, grãos, sementes, frutas e cereais. Ovos e laticínios, embora sejam de origem animal, estão incluídos na dieta de alguns vegetarianos. Por essa e outras diferenças, os vegetarianos acabaram sendo categorizados em 4 grupos principais.

Ovolactovegetarianos – Não consomem carne, porém consomem ovos e laticínios além da dieta vegetariana.

Lactovegetarianos – Não consomem carne nem ovos, mas consomem laticínios. É um tipo de vegetarianismo muito comum na Índia, por estar ligado a questões religiosas.

Vegetarianos Estritos – Não consomem carne, ovos ou laticínios, por acreditarem que ovos e laticínios também prejudicam os animais.

Veganos – O vegano é antes de mais nada um vegetariano estrito, porém o conceito extrapola o campo da alimentação, se tornando uma ideologia ética e política de defesa dos animais.

Vegetarianos Estritos e Veganos

Depois de conhecermos os tipos de vegetarianismo, realmente algumas dúvidas ficam no ar. Quando comparamos vegetarianos estritos e veganos, pode ser comum achar que ambos são a mesma coisa, mas existe uma clara diferença.

Resumidamente, os vegetarianos estritos focam só no plano da alimentação, enquanto os veganos, além de serem vegetarianos estritos, vão além e militam em prol da defesa dos animais. Por questões éticas, os veganos (do termo inglês vegan), além de não consumirem nenhum alimento de origem animal (ovos, laticínios, mel, gelatina, etc.), também não usam produtos de origem animal, como roupas que sejam de pele ou couro de animais, seda, lã e lanolina. Produtos testados em animais também são cortados, como xampus e outros produtos de higiene, cosméticos e até remédios. Espetáculos que utilizam animais também são condenados, como circos, touradas, rodeios, etc.

Ou seja, o veganismo vai além de uma alimentação vegetariana, excluindo da sua vida qualquer forma de exploração ou tratamento cruel com os animais. Muitas vezes o termo “dieta vegana” é utilizado de forma equivocada, já que veganismo não é dieta alimentar. O correto é sempre usar “dieta vegetariana”.

Antes de se tornar um vegano, a pessoa provavelmente passou por alguns passos do vegetarianismo, sendo um vegetariano estrito antes de, por questões éticas e ideológicas, se tornar um vegano. Ser um vegano é uma filosofia de vida.

Outros termos vegetarianos

Ainda existem outros termos quando o assunto é vegetarianismo. Embora não reconhecidos pelos vegetarianos, existem pessoas que se autodenominam “semi-vegetarianos” e “pescovegetarianos” (que consomem peixes e frutos do mar ocasionalmente).

Há ainda outros dois grupos derivados do vegetarianismo estrito:

Frugívoros – também chamados de “frutívoros”, só se alimentam de frutos, sementes e grãos, pois são contra uma alimentação que mate as plantas, evitando assim consumir qualquer raiz (batata, cebola, cenoura, etc). Muitos consideram uma ramificação do veganismo, pois além de proteger os animais, os frugívoros não participam da morte das plantas, tendo compaixão por todos os seres vivos.

Crudívoros – Só consomem alimentos crus, pois pregam que o homem é o único animal que cozinha seu alimento, fazendo com que ele perca seus nutrientes no processo. Ao contrário do que muitos pensam, não são necessariamente veganos, pois muitos consomem mel e outros produtos de origem animal, como ovo cru e leite.

Cuidados com uma alimentação vegetariana

Embora uma dieta vegetariana seja sinônimo de vida saudável, é preciso tomar alguns cuidados. O vegetariano quase não consome gordura saturada, e sua alimentação é rica em antioxidantes, potássio, magnésio, folato, fibras, carboidratos, proteínas…

Porém, na alimentação do vegetariano pode faltar ferro, zinco, iodo, cálcio, vitamina D, vitamina B12, entre outros, e isso pode causar problemas ao organismo. Por isso, antes de embarcar em uma dieta vegetariana, procure sempre um nutricionista. O vegetariano pode ter que tomar suplementos vitamínicos e é bom fazer exames de sangue periódicos, para acompanhar qualquer desequilíbrio no organismo.

Comente através do Facebook