A arte de comer melhor para viver melhor…

NutriçãoDesde que nascemos, a alimentação se torna fundamental para a nossa sobrevivência e para o nosso bem-estar. No entanto, nem sempre ao longo da vida nos alimentamos de forma correta, o que pode trazer diversos problemas e diminuir a qualidade de vida. Por isso, cuidar da alimentação é importante, se quisermos trazer benefícios para a nossa saúde. Aliás, ter uma alimentação saudável e balanceada aliada à prática de atividade física é uma das principais recomendações para quem quer aumentar a qualidade e expectativa de vida.

Para que se possa ter ciência sobre os alimentos mais adequados à uma dieta saudável, é fundamental ter alguns conhecimentos de nutrição. Mas, qual é areal importância da nutrição no nosso dia a dia? Que tipo de alimentos devem ser ingeridos para se ter uma alimentação saudável e equilibrada? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e controla a relação do homem com o alimento visando o bem-estar e a saúde do indivíduo. Cada alimento possui nutrientes que são importantes para o bom funcionamento do corpo humano. No entanto, nem sempre sabemos o que é mais saudável, e muitas vezes recorre-se a dietas malucas para tentar obter o resultado desejado.

Uma dieta ideal inclui a ingestão de carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e lipídios. Por isso, retirar completamente os carboidratos ou as proteínas do cardápio, por exemplo, não é recomendável, já que nenhum grupo isolado de alimento apresenta todos os nutrientes necessários para a saúde. Também deve ser evitado o exagero em doces ou comidas gordurosas.

A Importância do Nutricionista

NutricionistaPara evitar que a dieta seja feita de forma inadequada, o ideal é buscar a orientação de um nutricionista. Conforme as suas necessidades e o objetivo a ser alcançado, ele elabora um programa nutricional que deve ser seguido durante o tempo que for determinado pelo profissional e, é claro, ao longo da vida se você não quiser voltar a ter aqueles indesejáveis quilinhos extras. Uma das principais recomendações é evitar ficar sem comer durante um longo período, por isso além das refeições normais como café da manhã, almoço ou jantar, é sempre indicada uma colação, ou seja, no intervalo das refeições deve-se comer algo leve no lanche da manhã e da tarde. Assim, para ter uma refeição equilibrada deve-se fazer de 5 a 6 refeições diárias.

É atribuição do nutricionista indicar a quantidade de porções dos alimentos que deve ser ingerida por dia. Essa quantidade é diferente para cada tipo de pessoa, já que leva em consideração algumas características da pessoa como tamanho (peso e altura), idade, sexo, histórico médico e nível de atividade física.

O nutricionista, no entanto, não está somente presente na vida de quem deseja emagrecer. Quem quer manter uma alimentação saudável, devido à prática de exercícios físicos, também recorre ao profissional que orienta os atletas a se alimentarem corretamente. Seu trabalho também é valorizado em empresas, hotéis, restaurantes, hospitais, asilos, spas e escolas, pois são os responsáveis pela elaboração do cardápio das refeições que são oferecidas a clientes, estudantes, hóspedes ou pacientes. O nutricionista também é de fundamental importância na escolha dos alimentos que devem ser prescritos para hipertensos, diabéticos, obesos, pacientes de doenças renais ou para qualquer outra pessoa que necessite de cuidados especiais com a alimentação.

Para trabalhar com nutrição é exigida especialização e qualificação profissional. O curso leva cerca de 5 anos e o profissional pode trabalhar nas áreas de nutrição clínica ou hospitalar (trabalhando em equipes de saúde e equipes multiprofissionais), nutrição em saúde pública (programas de segurança alimentar e nutricional sustentável), nutrição esportiva, indústria alimentar (processo tecnológico para produção, conservação e embalagem de produtos alimentares) e higiene e inspeção de alimentos (análise microbiológica em alimentos).

Uma Alimentação Saudável

Manter uma alimentação saudável nem sempre é possível. Ainda mais com o corre-corre diário, quando nem sempre se pode parar para almoçar corretamente, optando por fazer uma rápida refeição. No entanto, apesar das dificuldades do cotidiano, alimentar-se bem e de forma correta é fundamental para o nosso organismo. É preciso ainda investir na qualidade dos alimentos e não tanto na quantidade do que é ingerido.

Em cada etapa da nossa vida, como na infância, adolescência, fase adulta e terceira idade, há necessidade maior de determinados tipos de alimentos. Mas, é na infância que se deve começar a investir na qualidade dos alimentos que serão consumidos, mesmo porque se a criança tem o hábito de se alimentar de forma saudável, provavelmente ela manterá o hábito durante todas as fases da sua vida. Por isso, confira a seguir o tipo de alimentação que deve ter destaque nas várias fases da vida.

  • Infância – o leite materno é um alimento completo pois contém todos os nutrientes importantes para seu desenvolvimento, e por isso deve ser o único alimento oferecido ao bebê até os 6 meses de idade. A partir dos 6 meses de vida, já é permitida a introdução de novos alimentos. Sucos e papinhas podem fazer parte do cardápio. Frutas (amassadas ou raspadas), hortaliças e legumes devem ser oferecidos um a um para que o bebê comece a se habituar com os novos sabores. A criança deve ainda comer cereais, carnes e leguminosas e evitar o consumo de guloseimas e alimentos que contenham baixo valor nutricional. É nessa fase da vida que a criança forma o seu paladar, por isso é essencial apresentar alimentos saudáveis a ela. Desta forma, quando se tornar um adulto ela continuará mantendo hábitos alimentares saudáveis, além de uma dieta balanceada.
  • Adolescência – nesta fase da vida, os adolescentes gostam de trocar uma alimentação saudável por frituras, doces e refrigerantes (fast-food), mas uma dieta balanceada é fundamental. Por isso, é importante explicar porque se deve incluir no cardápio as verduras e os alimentos ricos em cálcio, ferro e zinco. O cálcio (leite e derivados como queijo e iogurte), por exemplo, ajuda a fortalecer os ossos (que crescem e ganham massa até aos 30 anos de idade). O ferro (carne vermelha, feijão, soja, lentinha, grão-de-bico, etc.) ajuda no desenvolvimento muscular, sendo essencial para a fabricação das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para as células do corpo. Já o zinco (carne, arroz, pão integral, aveia, semente de abóbora, leite integral) contribui para o crescimento e a maturação sexual do adolescente, sendo ainda fundamental para o desenvolvimento e proteção do organismo contra os radicais livres.
  • Adulto – a fase adulta é chamada de fase da manutenção, já que a pessoa tem os seus hábitos alimentares adquiridos, e a tendência é mantê-los, sendo, portanto, mais difícil mudar. No entanto, se até aqui a pessoa ainda não se convenceu de que ter uma alimentação saudável e balanceada é o melhor para a sua saúde, vale a pena rever os seus conceitos, pois o bom funcionamento do organismo irá ajudar a prevenir doenças e a melhorar a sua qualidade de vida quando for idoso.
  • Idoso – nesta fase ocorrem muitas mudanças como alteração na capacidade de mastigar, deglutir, digerir e absorver os alimentos, e redução no paladar e do olfato. É importante consumir alimentos de grupos variados, priorizando os de alto valor nutricional. Deve-se estimular o consumo de alimentos que estimulem a mastigação. O idoso deve comer de forma fracionada, ou seja, mais vezes durante o dia. Além disso, é importante ter o hábito de beber água, pois a falta de líquido pode acarretar problemas renais ou até desidratação.

Conheça o Guia de Nutrição

Em nosso site você irá encontrar uma alta gama de informações sobre nutrição, com artigos diversos sobre alimentos, nutrientes e dietas, além de curiosidades, utilidades e dicas úteis para quem faz exercícios e musculação. Compartilhe esta ideia com seus amigos! Nosso lema é: Comer melhor, Viver melhor.