Lipídios

O organismo necessita de diferentes tipos de nutrientes para funcionar bem. Alguns destes nutrientes fazem bem à saúde, outros devem ser evitados ou terem o seu consumo reduzido, ou então devem ser consumidos na quantidade certa e sem exageros. Isso é o que ocorre com os lipídios ou gorduras, que exercem função energética e ainda fornecem ácidos graxos, substâncias importantes para o organismo.

Os lipídios são biomoléculas orgânicas compostas, principalmente, por moléculas de oxigênio, hidrogênio e carbono. Tem como característica serem compostos orgânicos insolúveis em água, mas solúveis em solventes orgânicos, tais como o álcool e o éter. Os principais representantes dos lipídios são os óleos e as gorduras.

Dependendo dos grupos aos quais pertencem, os lipídios possuem diversas funções. Assim, eles são importantes na formação de hormônios e fazem parte da constituição de membranas celulares, na transmissão de impulsos nervosos, exercem papel fundamental no sistema imunológico e na preservação do calor corpóreo através da camada subcutânea de gordura, pois agem como isolante térmico do corpo, protegendo os órgãos internos.

Eles também auxiliam na absorção das vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), proporcionam isolamento elétrico e mecânico para a proteção das células e dos órgãos, e geram saciedade ao organismo. Ou seja, quando consumimos algum alimento rico em gordura, é normal demorar mais para sentir fome novamente, já que um dos papéis da gordura é retardar o aparecimento da sensação de fome.

Os lipídios possuem características de serem compostos orgânicos insolúveis em água, mas são solúveis em solventes orgânicos, tais como o álcool e o éter. Eles fornecem ainda moléculas para o organismo, como prostaglandinas, lipoproteínas e colesterol, além de ácidos graxos (que são introduzidos através da alimentação).

Os lipídios são encontrados em alimentos de origem vegetal e animal. No entanto, os de origem vegetal fazem bem à saúde e, por isso, dentro de uma dieta saudável e equilibrada, devem ser os preferidos. Fazem parte dessa lista soja, margarina vegetal, óleos (soja, canola, girassol, milho, etc), azeite de oliva, nozes, avelã, amêndoas, amendoim, castanha de caju, abacate, côco. Já os alimentos de origem animal devem ser evitados, pois são ricos em colesterol. São eles: manteiga, creme de leite, nata, bacon, toucinho e banha.

Alimentos ricos em lipídios

Grupos de lipídios

Os lipídeos são compostos por glicerídeos, cerídeos, esteroides, triglicérides ou glicerídeos e fosfolipídios.

  • Glicerídeos – Podem ser sólidos (gorduras) ou líquidos (óleos) em temperatura ambiente. Quando o óleo está em estado líquido em temperatura ambiente, os glicerídeos não fazem mal ao organismo, ao contrário das gorduras de origem animal em estado sólido, que podem causar prejuízos à saúde se ingeridos em excesso. São encontrados na gordura de origem animal, no queijo, leite, ovos e nos óleos vegetais, como azeite, óleo de girassol, e outros.
  • Cerideos – São classificados como lipídios simples. Formados por ácidos graxos e álcoois de cadeia longa, são altamente insolúveis em água. São representados pelas ceras, exercendo a função de impermeabilização e proteção. Os cerídeos são encontrados na cera do ouvido humano (responsável por protegê-lo contra microorganismos), da carnaúba, no favo das abelhas.   
  • Esteroides – Substâncias associadas aos lipídios. Formam um grupo de lipídios complexos. Formados por um álcool de várias cadeias. São solúveis em gordura. A função que tem no organismo depende da substância à qual está se referindo, já que o grupo de esteroides inclui os hormônios sexuais, os corticosteroides, o colesterol, os sais biliares do fígado e a vitamina D. Aliás, o colesterol é o mais conhecido dos esteroides. As gorduras animais são ricas em colesterol, porém o excesso de consumo pode desencadear doenças do coração. No entanto, o nosso organismo necessita do colesterol, pois ele é um componente dos hormônios sexuais feminino e masculino e das membranas das células animais, por isso o colesterol só faz mal se for consumido em excesso.
  • Triglicérides – Resultantes da união de moléculas de glicerol e de duas ou três moléculas de ácidos graxos. Sua principal função é o armazenamento de energia, que são estocadas nas células do tecido adiposo. Quando os glicerideos estão ligados a três molécuas de ácidos graxos, são conhecidos como triglicerídeos ou triglicérides. E quando as moléculas de ácidos graxos se unem a moléculas de glicerol, no interior das células, são formados os glicerídeos. São representados pelos óleos e gorduras e são encontrados em maior quantidade em alimentos como leite, queijo, ovos, óleos vegetais e gorduras de origem animal.
  • Fosfolipídios – Lipídios ligados a um grupo de fosfato, sendo formados por álcool, ácido graxo, molécula e ácido fosfórico. Encontrados nas membranas celulares. Os fosfolipídios são anfipáticos, ou seja, um lado da molécula possui uma região polar (cabeça hidrofílica, que tem afinidade por água) e outra região apolar (cauda hidrofóbica, que repele a água).

Colesterol e alimentos

Tipos de ácidos graxos

Os ácidos graxos são componentes orgânicos, que contêm carbono e hidrogênio em suas moléculas. Quando as gorduras são quebradas, estes ácidos são produzidos. Eles são usados como energia pelas células, já que são solúveis em água.

Por não serem fabricados pelo corpo, os ácidos graxos precisam ser obtidos através da alimentação. Encontrados em óleos vegetais e gorduras animais, os ácidos graxos são classificados em monoinsaturados, poliinsaturados ou saturados. Algumas gorduras são boas, mas outras são ruins para o organismo e devem ser evitadas, pois aumentam o colesterol ruim e diminuem o colesterol bom, representadas, respectivamente pelo LDL e HDL. Ou seja, quando o alimento tiver gordura boa, ele deve ser incluso na dieta alimentar, mas quando prevalecer a gordura ruim é melhor evitar a ingestão do alimento.

Os ácidos graxos monoinsaturados (contêm ômega 9) e poliinsaturados (contêm ômega 3 e 6) são benéficos ao organismo, enquanto que os ácidos graxos saturados e trans são prejudiciais à saúde.

  • Ácidos graxos monoinsaturados – Como são constituídos por gorduras boas, os ácidos graxos monoinsaturados ajudam a reduzir o colesterol total e o LDL, o “mau” colesterol do sangue. Eles são conhecidos como “amigos do coração”, pois ajudam a diminuir o risco de se desenvolver doenças cardíacas. Contêm ômega 9. Podem ser encontrados no abacate, azeite de oliva, nozes, óleos vegetais, azeitona, amêndoa, castanhas, pistache.
  • Ácidos graxos polinsaturados (gordura insaturada) – Esse tipo de gordura ajuda a aumentar a taxa do HDL, o colesterol bom, e a diminuir a taxa do LDL, o colesterol ruim. Os ácidos graxos polinsaturados auxiliam no combate a inflamações. Eles contêm as substâncias ômega 3 e ômega 6. Podem ser encontrados nos óleos vegetais (girassol, milho, soja), óleos de peixe, amêndoa, castanha e em pequenas quantidades na gordura da carne e do leite.
  • Ácidos graxos saturados (gordura saturada) – Os ácidos graxos saturados contêm gorduras ruins, por isso devem ser evitados ou ingeridos em poucas quantidades. Afnal, o consumo em excesso de ácidos graxos saturados aumenta o nível do colesterol total e do LDL, o colesterol ruim. Também aumenta o risco de doenças cardíacas. Podem ser encontrados no óleo de côco e de dendê, carnes gordas, bacon, banha, manteiga, alguns queijos e óleos vegetais utilizados várias vezes.
  • Ácidos graxos trans (gordura trans) – Contêm gorduras ruins, também chamadas de gorduras hidrogenadas. Provoca o aumento do colesterol total e do colesterol ruim (HDL) e diminui o colesterol bom (LDL). Os ácidos graxos trans podem ser mais maléficos que os ácidos graxos saturados. Podem ser encontrados em produtos industrializados, frituras, margarinas, molhos de salada, biscoitos, chocolates, pães, cremes, sorvetes, maionese e sobremesas prontas.

Comente através do Facebook