• Tipos de Gorduras:
  • Gorduras Monoinsaturadas
  • Gorduras Poliinsaturadas
  • Gorduras Saturadas
  • Gorduras Trans

Todos os alimentos são importantes para o nosso organismo, já que não existe um alimento que reúna todos os nutrientes que são indispensáveis à nossa saúde. Por isso, deve-se consumir carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e gorduras (lipídios). Sim, as gorduras são importantes para o nosso corpo, pois também são fontes de energia, já que contêm doses de vitaminas e ácidos graxos essenciais (gorduras boas que não são produzidas pelo organismo). Além do mais, o corpo necessita de gorduras para que ele absorva as vitaminas A, D, E e K. Só que devem ser consumidas com moderação, já que todos os tipos de gorduras são ricos em calorias.

Os alimentos naturais e os processados (industrializados) contêm vários tipos de gordura. Alguns são positivos para a saúde, pois aumentam o HDL (colesterol bom), enquanto que outros exercem o efeito contrário, já que aumentam o nível de LDL (colesterol ruim). Por isso, deve-se dar preferência aos alimentos que contenham “gordura do bem”. No entanto, também deve-se ter cuidado com as gorduras benéficas, já que qualquer tipo de gordura contém mais calorias do que proteínas e carboidratos. Ou seja, é preciso ficar atento ao tipo de gordura e a quantidade a ser consumida. Isso porque se o consumo do tipo errado de gordura for feito com muita frequência, ou seja, em excesso, aumenta a possibilidade de a pessoa desenvolver um quadro de excesso de peso e obesidade.


Existem dois tipos de gorduras saudáveis: monoinsaturadas e poliinsaturadas, pois ambas podem diminuir o colesterol ruim (LDL). Há ainda outros dois tipos de gordura: saturada e trans, que são prejudiciais à saúde. Mas como saber, por exemplo, qual o tipo e a quantidade de gordura de um alimento? É fácil. Basta verificar a tabela de informação nutricional que vem no rótulo da embalagem.

Tipos de gorduras

Gorduras insaturadas – Consideradas boas, as gorduras insaturadas auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares. Isso porque ao elevar o HDL (colesterol bom) e diminuir o nível do LDL (colesterol ruim), são reduzidos os níveis de triglicerídeos e o colesterol. Assim, ao diminuir a formação e manutenção de placas de gordura no sangue, as chances de a pessoa sofrer pressão alta, infarto ou derrame cerebral são reduzidas.Mas, que tipo de alimentos contêm gorduras insaturadas? Elas estão presentes no azeite de oliva, castanhas, semente de linhaça, amêndoa, castanha-do-pará, abacate, óleo de canola e de milho, e determinados peixes, como salmão, atum, truta e cavala.

O consumo máximo de gordura insaturada por dia deve ser de 44 gramas, numa dieta de 2000 calorias diárias. Óleos de origem vegetal, utilizados no preparo das refeições, suprem as necessidades diárias de gordura insaturada. No entanto, é preciso tomar cuidado para não exagerar, e equilibrar a quantidade de gordura insaturada com outros tipos de nutrientes, já que as gorduras também são fontes de calorias e, por isso, podem desencadear um processo de sobrepeso e obesidade.

Existem dois tipos de gorduras insaturadas: monoinsaturada e poliinsaturada, além de gorduras saturadas e trans. Confira algumas características de cada uma delas.

  • Gorduras Monoinsaturadas – As gorduras monoinsaturadas permanecem na forma líquida quando se encontram à temperatura ambiente, mas solidificam quando refrigeradas. As gorduras monoinsaturadas são benéficas para o organismo, pois ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue, sem diminuir os de colesterol bom (HDL). Elas podem ser encontradas no abacate, óleo de canola, azeite de oliva, óleo de girassol, óleo de gergelim, açaí e frutas oleaginosas (amendoim, castanhas, nozes, amêndoas, etc.).
  • Gorduras Poliinsaturadas – As gorduras poliinsaturadas encontram-se normalmente na forma líquida, independentemente da temperatura à qual estão armazenadas. Elas também são benéficas para a saúde, pois diminuem a concentração de LDL (colesterol ruim) e triglicerídeos, além de reduzir a pressão arterial. Elas podem ser encontradas nos peixes, óleos vegetais (girassol, soja, milho, canola, açafrão, algodão, gergelim, etc.) e nas frutas oleaginosas (castanhas, nozes, avelãs, etc.).
  • Gorduras saturadas – Em temperatura ambiente, esse tipo de gordura apresenta-se em estado sólido. Elas são encontradas principalmente em produtos de origem animal, como nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves), leite e derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata), azeite de dendê, óleo e derivados de côco, bacon, banha de porco, óleo de algodão. O consumo máximo de gorduras saturadas por dia deve ser de 20 gramas, levando em consideração uma dieta de 2000 calorias diárias.
  • Gorduras trans – As gorduras trans são formadas através de um processo químico chamado de hidrogenação. Nesse processo, os óleos vegetais líquidos são aquecidos e transformados em ácido graxo trans, uma gordura sólida. Na indústria de alimentos, eles recebem o nome de gordura vegetal hidrogenada. Mas, por que a indústria se interessa por esse tipo de gordura? Porque ela ajuda a aumentar a validade do produto, melhora a consistência e o sabor dos alimentos, além de poder substituir os óleos feitos com gordura animal.

Cuidados com gorduras saturadas e gordura trans

Segundo a Organização Mundial da Saúde, as pessoas devem limitar o consumo de gorduras saturadas, pois elas aumentam o colesterol ruim (LDL), que, ao se depositar nas artérias, aumentam o risco de problemas cardíacos, como infarto. Esse tipo de gordura também está associado a problemas de obesidade e arteriosclerose. Assim sendo, quanto menor for a ingestão de alimentos com gorduras saturadas, melhor para o organismo.

Alimentos com gorduras trans devem ser evitados, isso porque esse tipo de gordura aumenta o colesterol ruim (LDL) e reduz o bom (HDL). Estudos indicam ainda que o maior consumo de gorduras trans está ligado ao desenvolvimento de doenças do coração.

As gorduras trans são encontradas em alimentos industrializados, biscoitos, frituras, bolos, pães, doces, sorvetes, salgadinhos, margarinas, etc, e alimentos de origem animal (carnes gordas, leites integrais), mas em pequenas quantidades. Assim sendo, por não ser uma gordura boa para o organismo, o ideal é que as pessoas dêem preferência a alimentos mais naturais. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o consumo máximo de gordura trans por dia deve ser de 2 gramas, levando em consideração uma dieta de 2000 calorias diárias.

Mas como identificar se o alimento contém ou não gordura trans? É simples, basta verificar as informações nutricionais e os ingredientes que constam no rótulo da embalagem. Se houver indicações como “gordura hidrogenada” ou “parcialmente hidrogenada”, “óleo vegetal hidrogenado” ou “parcialmente hidrogenado” é porque o alimento apresenta gordura trans na sua composição.

Comente através do Facebook