Já se sabe que o funcionamento do metabolismo varia de pessoa para pessoa e que vários fatores como genética, idade, sexo, altura, peso, dietas e prática de atividade física influenciam a forma como o metabolismo atua no organismo. Também já se sabe que os homens por conterem mais massa muscular que as mulheres têm o metabolismo mais acelerado, por isso as mulheres têm mais dificuldades para perder peso, por exemplo. Mas, o que as mulheres e os homens podem fazer para acelerar o metabolismo?

Para ajudar no processo de aceleração do metabolismo vale a pena investir na alimentação e na prática de exercícios físicos. Muitas pessoas, por causa da correria do dia a dia acabam pulando algumas refeições. Há quem saia de casa sem tomar o café da manhã e também há quem deixe de almoçar devido ao excesso de trabalho ou a compromissos que não podem ser adiados. Pois bem, regularizar a alimentação é o primeiro passo para quem quer acelerar o metabolismo. O segundo passo é fracionar as refeições, ou seja, comer de 5 a 6 vezes ao dia, incluindo lanche da manhã, lanche da tarde e ceia após as principais refeições. Comer mais durante o dia faz com que o organismo trabalhe cada vez mais para processar um maior número de refeições. E isso acelera o metabolismo.




Reduzir o consumo de alimentos gordurosos, ricos em açúcar e farinhas refinadas, além de optar por alimentos ricos em fibras (grãos integrais, legumes, frutas e verduras) também ajuda a acelerar o metabolismo. No caso dos alimentos com fibras, estes levam mais tempo para serem digeridos, provocando a sensação de saciedade por um período maior. Também é importante que se coma mais devagar e que se mastigue bem os alimentos.

Paralelamente aos cuidados com a alimentação, é preciso incluir a prática de atividade física regular no seu dia a dia. Isto porque os exercícios aumentam a massa muscular, e quando isso ocorre a taxa metabólica acelera, fazendo com que seja maior o gasto de energia e a queima de calorias. Ou seja, com os exercícios perde-se tecido gorduroso e ganha-se músculos. E o que é melhor, após o encerramento da atividade física, o corpo continua gastando energia numa velocidade maior durante mais algum tempo.

Os exercícios aeróbicos (caminhada, esteira, bicicleta, natação, ciclismo) combinados com a musculação são os mais indicados para este fim. No entanto, quem não gosta de musculação pode optar por aulas de ginástica localizada. Vale lembrar que os exercícios físicos podem ser feitos em qualquer idade, e que o único cuidado é respeitar os limites do seu próprio corpo. Além é claro de contar com a orientação de um profissional, que irá indicar quais são os exercícios que devem ser feitos para atingir o seu objetivo. Mudar hábitos do dia a dia como trocar o elevador pelas escadas, descer do ônibus um ponto antes ou ir a pé a lugares próximos de casa também contribuem para o melhor funcionamento do metabolismo.

O que fazer para acelerar o metabolismo

Para acelerar o metabolismo é preciso uma série de fatores. Entre eles está a inclusão de alimentos termogênicos na dieta, a prática de atividade física, um sono tranquilo e longo, o cuidado com a alimentação, entre outros. Confira a seguir o que você pode mudar na sua rotina para ajudar no processo de aceleração do metabolismo.

  • Atividade física – Praticar atividade física regularmente é determinante para a aceleração do metabolismo, pois os exercícios proporcionam o aumento da massa muscular. Como os homens têm mais massa muscular que as mulheres, o metabolismo deles é mais rápido. Combinar exercícios aeróbicos e musculação é uma boa dica para quem quer fazer atividade física visando o aumento do metabolismo.
  • Composição nutricional da dieta – As proteínas gastam mais calorias para ser digeridas que os carboidratos. Assim sendo, se houver a redução da ingestão de caboidratos e o aumento do consumo de proteínas o metabolismo pode acelerar.
  • Alimentos – Alguns alimentos e suplementos alimentares são termogênicos, ou seja, eles ajudam a aumentar a taxa metabólica, fazendo com que o organismo queime mais calorias. Bebidas como a água gelada também possuem ação termogênica, pois o organismo gasta calorias para aquecê-la.
  • Intervalo das refeições – Quem come em intervalos menores, como, por exemplo, de três em três horas, eleva o metabolismo alimentar. Já quem fica longos períodos em jejum contribui para o aumento de gorduras no organismo. Por isso, o ideal é não pular as refeições. Além do mais, comer com frequência enxuga as gorduras.
  • Efeito-sanfona – O efeito-sanfona (engorda-emagrece-engorda) é prejudicial ao organismo, já que ele contribui para a diminuição da massa muscular e do metabolismo. São muitos os fatores que desencadeiam o efeito-sanfona: dietas drásticas, emagrecimentos muito rápidos, sem acompanhamento profissional, medicamentos sem prescrição ou interrupção abrupta ou precoce de tratamento.
  • Sono – Dormir bem é uma das principais recomendações para quem deseja ter o metabolismo mais acelerado. Isto porque dormir pouco ou ter o sono irregular ajuda a diminuir a produção do hormônio de crescimento que é importante para a manutenção da massa muscular e aumento da oxidação das gorduras, principalmente da região abdominal.
  • Hormônios – Deficiências de testosterona, GH e hormônios tireoidianos podem afetar direta ou indiretamente o metabolismo.

Dicas para manter o metabolismo em alta

  • Beba água regularmente, já que ela ajuda o sangue a transportar melhor o oxigênio para os músculos. Na falta da água, o metabolismo fica mais lento e são queimadas menos calorias.
  • Não fique sem comer por mais de quatro horas, nem pule refeições. O metabolismo fica mais lento se isso acontece.
  • Coma legumes e verduras antes da refeição. Eles têm poucas calorias, e contêm fibras e nutrientes. Se forem ingeridos antes de outros alimentos, legumes e verduras reduzem a fome.
  • Prefira os grãos integrais, ricos em fibras, à cereais à base de flocos de milho e arroz refinados, que têm índice glicêmico alto.
  • Frutas secas têm carboidratos do bem, que aceleram o metabolismo. Também são antioxidantes. Podem ser misturadas nas saladas, no iogurte ou na aveia.
  • Salada de alface e verduras no almoço podem deixar o metabolismo lento, já que são alimentos de baixa caloria e, por isso, não fornecem energia significativa para o organismo. Em pouco tempo, sentirá fome novamente. O ideal é juntar à salada uma fonte de carboidrato, de preferência integral, uma proteína magra e uma gordura “do bem”.
  • Os doces devem ser consumidos após as refeições. Isto porque a comida segura o índice glicêmico do açúcar, evitando picos de insulina no organismo e a consequente sensação de fome.

Comente através do Facebook