Alimentos Orgânicos

Nas últimas décadas houve um crescimento muito grande com relação à preocupação com a saúde, por isso as pessoas começaram a investir numa alimentação mais saudável. Essa mudança de comportamento propiciou o desenvolvimento de novas técnicas de produção na agricultura, que culminaram com a produção de alimentos orgânicos. Apesar de este tipo de alimento ainda soar um pouco estranho para a maioria da população, um número significativo de pessoas no Brasil e também no mundo já descobriram os benefícios de adquirir produtos orgânicos.

Mas, qual é a diferença entre os alimentos orgânicos e não orgânicos? Ao contrário dos alimentos convencionais, os produtos orgânicos utilizam técnicas específicas, que respeitam o meio ambiente durante todo o seu processo de produção. Além do mais, eles também visam a qualidade do alimento, já que não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto -como adubos químicos que possam acarretar algum dano à saúde de quem consumir o alimento. Ou seja, eles são obtidos de maneira mais natural, por isso são mais saudáveis e até mais saborosos e nutritivos.

Pela técnica convencional de produção de alimentos, utiliza-se maquinário pesado e insumos químicos. Como consequência há desgaste do solo, contaminação de alimentos por agrotóxicos e diminuição da qualidade dos alimentos. Por outro lado, a técnica utilizada na produção de alimentos orgânicos dispensa o uso de qualquer tipo de contaminantes que ponham em risco a saúde do agricultor, do meio ambiente e do consumidor, preservando portanto a saúde humana e ambiental. Existe um cuidado especial com a água e com o solo, que é preservado, sendo utilizada matéria vegetal e animal para a adubação (húmus de minhoca, esterco curtido, adubação com leguminosas). O controle biológico de pragas de forma limpa é outra preocupação dos produtores de alimentos orgânicos.

No Brasil já podem ser encontradas frutas, verduras, legumes, grãos, ovos e carnes orgânicos. No caso da produção de ovos e carnes, o cuidado com o rebanho ou a granja é ainda maior, já que os animais não podem ter estresse. Além do mais, a alimentação é feita com grãos, cereais, sementes, verduras e legumes orgânicos. Os animais também são criados sem a aplicação de hormônios, anabolizantes e antibióticos. Por todos esses motivos, os ovos e as carnes orgânicas são mais saudáveis.

Saco com alimentos orgânicos

Os benefícios dos alimentos orgânicos para a saúde e o meio ambiente já começam a ser mais conhecidos pelos consumidores, por isso tem aumentado significativamente a procura por estes produtos. Nos grandes centros urbanos, por exemplo, os alimentos orgânicos são encontrados à venda em “Feiras Orgânicas” ou “Feiras Verdes”, que vendem exclusivamente produtos orgânicos. Já nas “feiras livres”, as barracas de orgânicos ainda são em menor número.

Vale ressaltar que apesar de serem alimentos orgânicos, o cuidado com a higiene deve ser o mesmo que os alimentos convencionais. Ou seja, os alimentos orgânicos crus devem ser bem lavados e em água corrente, pois também há o risco de contaminação por bactérias e coliformes fecais.




Vantagens e benefícios dos alimentos orgânicos

  • Os alimentos são mais saudáveis, pois são livres de agrotóxicos, hormônios e outros produtos químicos. Menor índice de toxidade.
  • São mais saborosos.
  • Maior valor nutricional do alimento. Maior concentração de nutrientes, chegando a ser 20 vezes maior do que em alimentos comuns.
  • A produção respeita o meio ambiente, evitando a contaminação de solo, água e vegetação.
  • A produção usa sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão de obra.

A única desvantagem dos alimentos orgânicos:

Os alimentos orgânicos são mais caros que os convencionais. O alto custo é devido a vários fatores como o tipo de produção, o tamanho da área cultivada (os alimentos são produzidos em menor escala) e o custo da mão de obra. Ou seja, o custo total pode ser até 40% mais caro que na agricultura tradicional. Por isso, paga-se mais para comprar alimentos orgânicos.

Alimentos orgânicos no Brasil

Segundo os dados oficiais do Censo Agropecuário de 2006, foram identificados mais de 90 mil produtores de alimentos orgânicos no Brasil. À princípio, 95% dos orgânicos estão em propriedades de pequenos e médios produtores. O faturamento anual gira em torno de meio bilhão de reais, sendo mais da metade, 60%, correspondente a exportações. No mercado global, os orgânicos faturam anualmente cerca de US$ 50 bilhões. Dados de 2013.

No Brasil, a demanda por produtos orgânicos cresce entre 15% e 20% ao ano. Esses números correspondem ao crescimento do mercado, mesmo porque restaurantes, bares e hotéis se mostram interessados em incluir produtos orgânicos em seus cardápios para atender a seus clientes que já consomem alimentos orgânicos com regularidade. Além disso, as redes de supermercados também querem elevar a oferta de produtos orgânicos aos seus consumidores, que buscam alimentos mais saudáveis.

A regulamentação dos produtos orgânicos começou a ser construída só em 2007, no Brasil, e entrou em vigor dois anos depois. Hoje, existem mais de 11 mil unidades de produção orgânica certificadas. No entanto, é difícil fazer o mapeamento de todos os produtores de alimentos orgânicos no Brasil, já que muitos deles vendem os seus produtos diretamente aos consumidores. Ou seja, as vendas são diretas, de produtor para consumidor.

Mas, como é possível identificar um alimento orgânico? No Brasil, o produtor recebe um selo de garantia que mostra que o produto é orgânico, sendo, portanto, isento de resíduos tóxicos. No entanto, os pequenos produtores que fazem venda direta aos consumidores não são obrigados a apresentar esse selo de certificação. Apesar disso, os produtores devem estar vinculados a uma Organização de Controle Social (OCS) cadastrada nos órgãos do governo, e precisam cumprir o regulamento da produção orgânica.

Agricultores familiares e pequenos e médios produtores são os responsáveis por cultivar os alimentos orgânicos. Para evitar que produtores mau intencionados possam fraudar e vender alimentos convencionais como se fossem orgânicos, existe no Brasil o instituto IBD, que controla a produção e comercialização desse tipo de alimento e fornece o selo IBD Orgânico para os produtos que são vendidos no mercado interno.

Comente através do Facebook