Nós sabemos que japoneses e chineses vivem uma vida longa, cheia de saúde e o segredo está na alimentação. No ocidente, a cultura, costumes e economia acaba fazendo com que as pessoas se alimentem muito mal, se entupindo de produtos industrializados, hiper processados e cheios de química. Os níveis de colesterol aumentam e os elementos que compõe esses alimentos podem causar diversos tipos de câncer à longo prazo. Muito disso é devido ao acúmulo de toxinas.

Com uma dieta rica em peixes, arroz e algas (sim, algas), os orientais correm muito menos risco de desenvolver tumores cancerígenos e outros problemas de saúde. Mas as algas marinhas não previnem apenas tumores. Na sua lista de benefícios estão a prevenção da leucemia, da hipertensão, do envelhecimento precoce, da anemia e de problemas do sistema digestivo. Pra completar, as algas contêm iodo, importante para a tireoide funcionar bem.

Como não contêm calorias nem gorduras, as algas são ótimas para se integrar à alimentação diária. Com elevado teor de fibras e uma textura um pouco gelatinosa, elas fazem bem para o nosso sistema digestivo e ainda incrementa vários pratos. Para usar no seu dia a dia, basta comprar algas secas e bem embaladas para durarem indefinidamente. Uma vez aberta a embalagem, o ideal é consumir dentro de 4 meses.

Os diversos tipos de algas e seu uso na comida

Existem diversos tipos de algas marinhas, mas cada uma é única no que diz respeito a coloração, forma, sabor e textura. Por isso, algumas são apropriadas para o nosso consumo, enquanto outras não caem tão bem na nossa cozinha.

A seguir listamos as mais utilizadas para o consumo diário, algas que podem ser facilmente integradas à sua alimentação.

  • AGAR-AGAR – serve para dar uma engrossada na comida, pois não possui sabor. É vendida em pó ou em fios e também pode substituir as gelatinas de origem animal;
  • ARAME – fininha, escura e dona de uma sabor suave, é ótima para você se acostumar com algas na sua alimentação e pode ser facilmente integrada a um prato com legumes cozidos (cozinhe junto). Junte-a aos legumes que mais gosta e faça a vapor, salteada ou como salada. A arame ganhou esse nome por causa de seu formato, parecida com um arame mesmo. É rica em minerais, como ferro e cálcio. Importante: deixe de molho por 15 minutos antes de cozinhar, e cozinhe-a por 30 minutos;
  • DULSE – de cor vermelha, essa alga é macia e possui um sabor característico, sendo muito usada para temperar sopas e outros pratos. Ela é rica em minerais como magnésio, ferro, potássio, fósforo e iodo;
  • HIZIKI (ou hijiki) – essa é comprida e escura, com textura semelhante à alga Arame. Porém, é mas mais espessa e possui um sabor muito mais forte (aquele gostinho de mar). Riquíssima em ferro e cálcio. O melhor é deixá-la de molho por pelo menos 10 minutos antes de usar, pois ela aumenta de volume quando é hidratada (cerca de 5 vezes!);
  • IRISH MOSS – como o nome sugere, essa alga também é conhecida por “musgo da Irlanda”. É muito utilizada na indústria alimentar para solidificar os alimentos;
  • KELP – ela tem uma coloração que varia entre castanho claro e verde escuro e é facilmente encontrada em feiras e mercados. Geralmente é vendida em flocos, podendo ser usada para incrementar seus pratos prontos;
  • KOMBU – é a mais larga e espessa das algas e conta com uma cor escura. Pode ser cozida junto com o feijão para tornar os grãos mais macios e mais fáceis de digerir, ou com vegetais, realçando o seu sabor e ajudando na digestão das fibras. Também é boa para fazer sopas e caldos, principalmente de legumes;
  • NORI – essa alga tem folhas finas, com coloração roxo escura, mas que fica verde fosforecente quando é torrada. Depois de secas, suas tiras servem para envolver o sushi, conhecido prato da culinária japonesa. Para que as tiras das algas fiquem mais durinhas para poder segurar o arroz, basta tostá-las rapidamente na chama do fogão. Ela também pode ser consumida pura, ou você pode picar e colocar em cima de caldos, sopas, saladas, legumes ou feijões. A nori é rica em iodo, cálcio, ferro, potássio e proteínas, além de contar as vitaminas A, B1, B2 e C;
  • WAKAME – as folhas enroladas e verde-escuras têm sabor suave e adocicado. Por isso, a alga é indicada para acompanhar sopas e legumes. A wakame é rica em iodo, magnésio e ferro, além de proteínas.

Os diversos benefícios das algas

Algas marinhas são alimentos naturais e cheios de nutrientes. Riquíssimas em minerais como iodo, cálcio e ferro, também são boas fontes de carboidratos, proteínas, aminoácidos e vitaminas. Para aproveitar seus benefícios, basta integrar as algas à sua alimentação diária. Como vimos acima, existem diversos tipos e você pode ir experimentando até encontrar as suas favoritas. Elas podem ser usadas em sopas, saladas (cruas), podem ser cozidas com legumes ou refogadas com feijão. Se você tiver habilidades culinárias, dá até para arriscar a fazer os sushis japoneses com elas…

Quem não conseguir integrar as algas à alimentação, pode tentar consumir a Spirulina, uma alga que é utilizada como suplemento alimentar. Pode ser comprada em pó e usada em salada de frutas, sucos e nos pratos prontos, ou pode ser tomada em comprimidos ou cápsulas.

O consumo regular de algas só trará benefícios para sua saúde. Confira aqui os 10 benefícios mais importantes das algas:

  1. Efeito antioxidante: ajuda a prevenir o envelhecimento precoce;
  2. Beleza: as propriedades antioxidantes das algas e a alta concentração de sais minerais e colágeno fazem com que elas sejam utilizadas em vários produtos de beleza, como máscaras para peeling, ceras e cremes para deixar a pele saudável, combater rugas, eliminar os furinhos da celulite, combater a flacidez, melhorar o crescimento dos cabelos e prevenir o envelhecimento precoce;
  3. Câncer: previne e combate tumores cancerígenos. Mulheres japonesas têm índices menores de câncer de mama, endométrio e ovário;
  4. Efeito anti-inflamatório: algas contêm um carboidrato específico que é um poderoso anti-inflamatório, chamado de fucoidan;
  5. Tireóide: a alta concentração de iodo ajuda a saúde da tireóide;
  6. Sistema digestivo: a vitamina K presente nas algas melhora o funcionamento do nosso sistema gastrointestinal, além de ter propriedades anti-hemorrágicas, podendo tratar de azias, gastrites e úlceras;
  7. Emagrecimento: como as algas ficam no estômago mais tempo, elas dão uma maior sensação de saciedade, o que é ideal em dietas de emagrecimento. Além disso, suas propriedades desintoxicantes aceleram a queima de gorduras e regulam o intestino, facilitando a absorção de nutrientes e a eliminação do que não serve e não é bom para o organismo, como o colesterol. Ainda ajuda a regular o metabolismo do corpo;
  8. Mente: melhoram as funções cerebrais, ajudando na concentração e prevenindo doenças degenerativas do cérebro e sistema nervoso;
  9. Coração: além dos seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, as algas ajudam a eliminar o colesterol ruim e fortalecem os vasos sanguíneos, prevenindo problemas cardíacos e AVCs;
  10. Nutritiva: como é um alimento completo, as algas podem ajudar a combater anemia e desnutrição.

Comente através do Facebook